Vereadores da posição em ST conseguem, mais uma vez, adiar a votação das contas do ex-prefeito Carlos Evandro

Os vereadores Leirson Magalhães (PSB), Dedinha Inácio (PMDB) e Vera Gama (PR) ingressaram com um substitutivo ao Projeto de Decreto Legislativo 015/2016, que rejeita as contas do ex-prefeito Carlos Evandro (PSB) relativas ao exercício de 2007, causando a suspensão imediata do processo de votação na sessão dessa segunda-feira (21).

A postura da oposição contou com apoio até do vereador Gilson Pereira (PROS), que mesmo ausente por razões de tratamento de saúde, enviou carta ao plenário afirmando que é favorável a absolvição do ex-prefeito e contra o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A carta foi lida pela vereadora Vera Gama. Na semana passada não houve quórum suficiente, com a ausência de 9 vereadores da Casa.

De acordo com o Assessor da Câmara, Giovani Sá (Farol de Notícias), o adiamento do julgamento causou rebuliço e reação por parte de alguns parlamentares e a sessão chegou a ser suspensa por dez minutos em busca do consenso. O recomeço aconteceu com um duro discurso do vereador Zé Raimundo que rebateu os argumentos da bancada de oposição, que segundo ele; focou apenas na falta de provas quanto ao uso de uma verba no valor de R$ 50 mil do governo do Estado e pelo fato do tribunal ter mudado a postura, aprovando as contas de 2008 do ex-gestor, após rejeita-las.

“Não vou querer de forma alguma uma junção de 2007 com 2008, porque as contas de 2008 não estão em discussão. Não só tem as contas da Festa de Setembro no parecer do TCE e a comissão de festa teve o período de defesa e não vez. Por que só resolveu fazer isso agora? está em julgamento a não aplicação de 15% na educação, o repasse indevido de valores para Oscips, o não recolhimento para Previdência e outras coisas mais”, disparou Zé Raimundo, que contou com o apoio dos vereadores Sinézio Rodrigues e Pinheiro.

QUEDA DE BRAÇO

O vereador Márcio Oliveira, com base no Regimento Interno, tentou brecar o substitutivo da oposição alegando que deveria ter sido dado entrada com 48 horas de antecedência na Secretaria da Câmara, e o petista Sinézio Rodrigues ingressou com um requerimento solicitando o não acolhimento do pleito da oposição, mas o presidente Agenor de Melo Lima encaminhou o pedido para as comissões adiando a votação.

No plenário, o socialista Leirson Magalhães, juntamente com Vera Gama, apresentaram argumentos em defesa do ex-prefeito. “A gente observa que o TCE se equivoca muito como foi com as contas de 2008. A indicação no TCE é política e eles erram muito”, justificou o socialista. As contas do ex-prefeito Carlos Evandro só devem ser submetidas a julgamento no começo de dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *