Treze municípios do Sertão vão receber novos promotores de Justiça a partir de segunda

A partir de segunda-feira (04), os novos membros vão assumir as comarcas que estão há mais de dois anos sem promotor titular. Treze deles trabalharão em cidades do Sertão do Estado, enquanto outros seis vão para o Agreste e dois, para a Zona da Mata Sul. Os municípios são: João Alfredo, Amaraji, Angelim, Santa Maria do Cambucá, Toritama, Sanharó, Cupira, Maraial, Carnaíba, Verdejante, Betânia, Belém de São Francisco, São José do Belmonte, Bodocó, Terra Nova, Trindade, Parnamirim, Moreilândia, Ipubi e Cabrobó.

O curso de formação dos 21 novos promotores de Justiça que tomaram posse no dia 10 agosto encerrou-se na sexta-feira (1°). “O curso ajudou bastante, principalmente na convivência com os promotores de Justiça do interior, na qual tivemos uma noção boa de como é o dia a dia do promotor. Também vão ajudar bastante as orientações da equipe dos Centros de Apoio Operacional às Promotorias e outros órgãos do MPPE”, comentou o novo promotor de Justiça de Moreilândia, Daniel Cézar de Lima Viera.

Os novos membros, durante três semanas, trocaram experiências com a Corregedoria Geral, Ouvidoria, Procuradorias Cível e Criminal e as Centrais de Recursos, Secretaria Geral, Gabinete da Procuradoria Geral e Entidades de Classe (Associação do MPPE e o Instituto do MPPE), bem como os Centros de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa da Cidadania, do Patrimônio Público, da Saúde, da Sonegação Fiscal, do Meio Ambiente, da Infância e Juventude, e Criminal. Também tiveram com explanações sobre a atuação do Grupo de Trabalho de Enfrentamento ao Racismo (GT Racismo), da Gestão Estratégica, da Assessoria de Comunicação e da Segurança e Inteligência Institucional, bem como sobre o uso do Sistema Arquimedes e Processo Judicial Eletrônico.

A programação do curso ainda foi composta por uma Mesa do Sistema de Segurança com a participação da secretaria de Defesa Social, Comando da Polícia Militar, Chefia da Polícia Civil e Diretoria da Polícia Científica; assim como aula de perícias criminais e Tribunal do Júri. Os núcleos de investigações do MPPE também participaram da grade de programação. O procurador-geral deu sua contribuição ao ministrar palestras com registro de experiências e abordando erros e acertos no início da carreira.