Tesoureiro de banco passa momentos de terror com explosivos amarrados ao corpo em Pernambuco

Nesta quinta-feira (27), um tesoureiro do Banco do Brasil, do município de Bezerros, no Agreste do Estado, foi feito refém, juntamente com a família, dentro da residência em Bezerros, no Agreste. A quadrilha amarrou explosivos na perna da vítima e ordenou que ele seguisse até o banco, sozinho, retirar todo o dinheiro. Confira o desdobramento dessa história na nossa matéria exibida em rede nacional, pelo SBT:

CLIQUE AQUI E ASSISTA 

O primeiro assalto a banco dessa semana ocorreu na cidade de Iati, no Sertão do Estado, na agência do Branco do Brasil.

De acordo com levantamento do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, de 1º de janeiro a 27 de outubro de 2016, foram registradas 244 ações violentas em bancos. Com 12 assaltos, 5 sequestros, 27 explosões, 13 arrombamentos, 128 ataques aos terminais de autoatendimento instalados fora das agências, 18 ataques a agências dos Correios, 36 ações em casas lotéricas e 5 explosões de carros-fortes.

Os bancos mais atacados são Banco do Brasil (BB), Caixa Econômica Federal(CEF), Bradesco e Santander. As ocorrências foram registradas em todas as regiões do Estado, atingindo 37 municípios.

Para o secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato, João Rufino, os ataques aos bancos espelham o crescimento geral da violência em todo Estado. “O governo de Pernambuco apenas maquia sua incompetência com ações paliativas, a exemplo das determinações do Procon para que os bancos estabeleçam prazos para reabertura das 38 agências danificadas, sem no entanto, oferecer a devida segurança para as empresas, tampouco para a população”, critica. Ele destaca ainda que as ações são articuladas nacionalmente e o poder bélico dos assaltantes supera a capacidade dos órgãos de segurança pública. “São metralhadoras Ponto 50 e dinamites, ambos controlados e de exclusivo uso das forças armadas”, adverte.