Suspeitos são presos em operação em morros de Santa Teresa, no Rio

Traficantes que atuam nos morros do Fallet e Fogueteiro, em Santa Teresa, no Rio, foram alvo na manhã desta quinta-feira (15) de uma operação coordenada pelo Ministério Público. O objetivo da ação é cumprir 15 mandados de prisão preventiva pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. A maior parte dos criminosos denunciados pelo MP se exibia no Facebook portando armas e estimulando o ataque a policiais militares.

Até as 11h desta quinta, um mandado de prisão havia sido cumprido contra Lucas Lima Paes da Silva. Outras três pessoas tinham sido presas em flagrante.

Para conseguir identificar os criminosos, o Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP, contou com o apoio da Polícia Militar para filmar a atuação dos traficantes. Câmeras escondidas foram instaladas nas duas comunidades, em dois principais pontos de venda de drogas.

Segundo o MP, as imagens gravadas permitiram o registro de toda a movimentação dos traficantes em vigilância e em fuga, o armazenamento das drogas e das armas que a quadrilha ostentava.

As imagens captadas dos rostos dos suspeitos foram confrontadas com as fotografias dos suspeitos existentes no Portal de Segurança do Estado-RJ. Um software de última geração foi utilizado para a confirmação da identidade dos criminosos, segundo o MP. Outros, no entanto, foram reconhecidos por meio de fotografias publicadas por eles próprios nas redes sociais, principalmente no Facebook.

Alguns dos criminosos exibiam na internet armas de grosso calibre, granadas, rádios transmissores e drogas. Alguns ignoravam o alerta de amigos de que aquela exposição poderia comprometê-los.

Também por meio do Facebook, os agentes envolvidos nas investigações puderam identificar o chefe do grupo, que era exaltado em várias mensagens. Segundo o MP, trata-se de Paulo César Baptista de Castro, conhecido como “Paulin” ou “Paulinhozinho”.