Sindicato dos Policiais Civis de PE repudia noticia crime contra o presidente impetrado pelo governador do estado

O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco) vem a público rechaçar veementemente a investida do Senhor Governador Paulo Câmara contra o líder sindical, Áureo Cisneiros. O governador está processando Áureo Cisneiros porque se sentiu ofendido pelas críticas políticas do sindicalista feitas em um protesto em frente à sede da Fiepe (Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco), no momento de uma reunião na qual o Senhor Paulo Câmara foi ter com a presidente da República Dilma Rousseff e empresários pernambucanos, no mês de agosto.
O que o Governador Paulo Câmara chama de “conduta ofensiva à sua honra”, nós do Sinpol chamamos de crítica política, dura, independente e totalmente cabível em um regime democrático. O Governador acusa Áureo de “conduta ofensiva à sua honra”.
O Sinpol reafirma sua crítica política aos repasses de milhões de reais a construtora Odebrecht para manutenção da Arena Pernambuco, enquanto a segurança pública no estado encontra-se em calamidade. Também, é público e notório que investigações da Polícia Federal, através da Operação Fair Play, apura suspeitas de superfaturamento de R$ 42,8 milhões na construção da Arena Pernambuco.
É fato também que a Odebrecht já é investigada na Operação Lava Jato e que seu presidente, Marcelo Odebrecht, está preso desde junho. Portanto, diante de tais fatos políticos e criminais e em comparação com a situação em que se encontra a polícia civil no Estado, é obrigação do Sinpol e de seu presidente fazer as devidas críticas ao Senhor Governador Paulo Câmara e a Senhora presidenta Dilma Rousseff em um evento público, respeitando os espaços institucionais, pois, em nenhum momento, os militantes do sindicato avançaram sobre os limites determinados pela segurança institucional, tampouco atentaram contra sua honra, mas tão somente, usaram-se de suas prerrogativas democráticas de poder criticar publicamente políticos e cobrá-los a responsabilidade, já que são eles os representantes da sociedade.
O queixa encontra-se na DECASP (Delegacia de Polícia de Polícia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos) e teve um pedido de “urgência” feito pelo procurador geral do Estado, Carlos Augusto Guerra de Holanda. O Sinpol reafirma que não vai se dobrar ante qualquer arroubo de autoritarismo do Senhor Governador Paulo Câmara e que vai continuar sua luta pela melhoria da segurança pública do povo pernambucano e por dignidade e condições de trabalho para a Polícia Civil de Pernambuco.