Serra Talhada lidera notificações de microcefalia na região, seguido de Belmonte e Floresta. Confira balanço das arboviroses:

De 1º de agosto de 2015 até o dia 12 de março de 2016, 1.779 casos de microcefalia foram notificados em Pernambuco. Desse total, 703 (39,5%) casos atendem aos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) para microcefalia. Ao todo, 256 foram confirmados como microcefalia e 297 foram descartados – levando em consideração o resultado dos exames de imagem dos bebês.

XI Região

Calumbi 1, Carnaubeira da Penha 4, Flores 5, Floresta 7, Itacuruba 2, Santa Cruz da Baixa Verde 4, São José do Belmonte 10, Serra Talhada 21, Triunfo 4 = Total 58

X Região

Afogados da Ingazeira 27, Brejinho 3, Carnaíba 10, Iguaraci 3, Itapetim 11, Quixaba 3, São José do Egito 16, Solidão 2, Tabira 11, Tuparetama 3. Total = 89

VI Região

Arcoverde 24, Buíque 27, Custódia 4, Ibimirim 4, Inajá 1, Jatobá 1, Manari 3, Pedra 5, Petrolândia 5, Sertânia 10, Tacaratu 3, Tupanatinga 3, Venturosa 9. = Total 99

VII Região

Belém de São Francisco 2,  Cedro 3, Mirandiba 4, Salgueiro 11, Serrita 6, Terra Nova 1, Verdejante 2. = Total 29

VIII Região

Afrânio 1, Cabrobó 3, Dormentes 1, Orocó 1, Petrolina 18, Santa Maria da Boa Vista 5. = Total 29

IX Região

Araripina 10, Bodocó 7, Exu 14, Granito 1, Ipubi 10, Moreilândia 6, Ouricuri 23, Parnamirim 8, Santa Cruz 4, Santa Filomena 2, Trindade 10= Total 95

 

Casos prováveis de arboviroses na região: Afogados da Ingazeira = 328 casos; Araripina = 299; Salgueiro = 222, Floresta = 114; Santa Cruz da Baixa Verde = 59; Triunfo = 71, Cedro = 50; Itacuruba = 18.

CHIKUNGUNYA

 

Entre os dias 3 de janeiro e 12 de março, foram notificados 10.880 casos suspeitos de chikungunya em 149 municípios. Desses, 272 foram confirmados e 395 descartados.

 

Em 2015, foram notificados 2.605 casos suspeitos de chikungunya, sendo 450 confirmados (03 importados, 02 no município de Iguaraci e 01 em Itaíba, todos com infecção no estado da Bahia; e 447 confirmados autóctones, sendo 220 na região metropolitana do Recife) e 589 casos foram descartados.

 

ZIKA

 

Entre os dias 3 de janeiro e 12 de março, foram notificados 5.766 casos suspeitos de zika. Ainda não há confirmações de casos em 2016. Em 2015, desde o início das notificações obrigatórias de zika (a partir de 10/12), foram notificados 1.386 casos da doença.

 

Em 2015, foram confirmados 46 casos de zika em 20 municípios (Bom Jardim, Camaragibe, Caruaru, Flores, Goiana, Glória de Goitá, Frei Miguelinho, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Lagoa do Carro, Manari, Olinda, Paudalho, Paulista, Petrolândia, Recife, São José do Egito, Serra Talhada, Surubim e Vertentes). Os exames foram feitos pelo Instituto Evandro Chagas (IEC/SVS/MS) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz – PE/CpqAM).

 

FORMAS GRAVES//ARBOVIROSES

 

Foram notificados 114 casos de arboviroses com agravamento, com 19 confirmações.

 

ÓBITOS//ARBOVIROSES

 

Até o momento, 96 óbitos suspeitos pelas arboviroses foram notificados. Deles, 1 foi confirmado por chikungunya, no município do Recife. No mesmo período de 2015 houve a notificação de 12 óbitos suspeitos, sendo 01 confirmado por dengue.

 

Desde que a notificação de casos de gestantes com exantemas foi tornada obrigatória, no período de 02 de dezembro de 2015 a 12 de março de 2016, 123 municípios do Estado notificaram 3.053 casos de gestantes com esse quadro clínico. Desse total, 17 gestantes apresentam confirmação de microcefalia intraútero. Vale salientar que a notificação das mulheres com exantema não significa, necessariamente, que elas são casos suspeitos de dengue, chikungunya ou zika, já que outros fatores podem ter ocasionado as manchas vermelhas (rubéola, intoxicação, alergia ou alguma outra virose). O exantema também não é indicativo que a mulher terá um bebê com microcefalia. Também foram registrados 17 casos de bebês natimortos e 16 que vieram a óbito logo após o nascimento. Destaca-se que nenhum dos casos teve microcefalia como causa básica de morte.

Em Pernambuco, o Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz confirmou 69 casos de microcefalia relacionados ao vírus zika por detecção do anticorpo IgM no líquido cefalorraquidiano. Os reagentes foram fornecidos pelo Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC). Outros 17 casos deram negativos e 02 inconclusivos, totalizando 88 testes realizados.