Reitora do IF Sertão-PE visita campus Serra Talhada e recebe entrega provisória da obra

Na manhã desta sexta-feira (19), a reitora do IF Sertão-PE, Leopoldina Veras, junto a alguns pró-reitores e assessoria de gabinete, visitou o campus Serra Talhada a fim de receber da construtora responsável pela obra do campus, a entrega provisória das instalações do Instituto no município. Além desta entrega, o momento também serviu para que fossem fechados alguns acordos com a prefeitura de Serra Talhada e Agência Regional da Compesa.

unnamed (1)

Durante o encontro, o prefeito do município, Luciano Duque, reafirmou a parceria da prefeitura com o IF Sertão-PE e elogiou a construção da sede definitiva do campus. “Nós corremos atrás desde licença ambiental para construção do Instituto e hoje fico muito feliz em ver o prédio pronto. Ele não representa apenas um empreendimento, mas também mudança na vida das pessoas, pois traz consigo conhecimento e desenvolvimento local,” destacou.

Animada com visita a Serra Talhada, a reitora conta que as parcerias firmadas foram essenciais para a estruturação do campus e que as expectativas só aumentam para a inauguração que acontecerá brevemente. “Já percebemos nesta visita o acabamento e detalhes das salas e de todos os espaços no campus. O diálogo com o prefeito do município em relação ao transporte e a viabilidade da água tratada até o campus, fruto dessa parceria também com a Compesa, foi bastante positivo. Agora precisamos trabalhar para que se concretize e possamos entregar o campus à comunidade em meados de outubro”, afirmou Leopoldina.

O Diretor-geral do campus, Givanilson Magalhães, ressalta seu compromisso enquanto gestor há quase um ano e relata a sensação em ver a construção do campus sendo concluída. “Hoje tivemos um dia bastante proveitoso em todos os sentidos. Sinto que cumpri meu dever, visto que desde que assumi a Direção, meu principal objetivo era chegar ao final da obra,” enfatizou. A sede definitiva do campus Serra Talhada está localizada às margens da PE-320, conta com 12 salas de aula, ginásio poliesportivo, oito laboratórios, biblioteca, auditório e anfiteatro. A ideia é que o campus atenda aos alunos dos cursos técnicos que já funcionam numa sede provisória e que futuramente também sejam abertos cursos de nível superior.