Prefeitura de ST emite nota após carro invadir barreira de proteção na Avenida Afonso Magalhães

Foto: Alejandro García.

Foto: Alejandro García.

Após um veiculo tipo D-20 invadir uma calçada próximo a Escola Irmã Elizabeth e o proprietário culpar o prefeito Luciano Duque pelo acidente, por ter permitido a abertura da saída na Avenida Afonso Magalhães, a prefeitura emitiu uma nota de esclarecimento. Confira:

A Prefeitura Municipal, por meio da STTrans, tem realizado diversas ações para melhorar o trânsito do município. Com um amplo processo educativo, mudou o sentido do fluxo de algumas vias, com a devida sinalização, para viabilizar mais fluidez no tráfego e desafogar as principais ruas e avenidas.

As mudanças foram aprovadas pela população que já sente as mudanças no trânsito com mais segurança e mobilidade. Todavia, é inevitável que ocorram acidentes, sobretudo, quando existe imprudência por parte dos condutores.

Dito isto, o Governo Municipal repele, veementemente, quaisquer insinuações sobre a responsabilidade do incidente ocorrido nesta terça-feira (6) na Avenida Afonso Magalhães, na saída que liga o bairro da AABB ao centro da cidade. Sobre essa questão, reiteramos:

  1. Toda a parte de engenharia de trânsito foi estudada e desenvolvida por engenheiros do DETRAN (Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco) e por engenheiros da empresa Sinal Vida;
  2. A alteração do fluxo naquela localidade foi pensada, também, pela necessidade de garantir mais segurança aos estudantes que circulam diariamente no trecho referido;
  3. A sinalização do local está devidamente instalada e de fácil visualização;
  4. A barreira de proteção (defensa) está devidamente fixada, de modo que evitou que algo mais sério tivesse ocorrido. Ficando claro, portanto, que a segurança do local é adequada;
  5. O incidente ocorreu não por falha na engenharia de trânsito ou dos aparelhos públicos, mas por pura imprudência do condutor do veículo, que não hesitou em fazer uma manobra proibida desrespeitando a sinalização existente e infringindo o Código de Trânsito.
  6. Portanto, a responsabilização pelo ocorrido cabe, tão somente, ao condutor do veículo, que praticando de ato proibido, pôs em risco a própria segurança, como a da população que trafega pela localidade diariamente.

A Prefeitura Municipal tem confiança na eficácia das medidas adotadas, bem como, acredita que, a partir das mudanças realizadas, é possível trafegar pelas ruas da cidade com mais segurança e mobilidade, sobretudo, se todos os usuários do sistema municipal de trânsito, respeitarem a legislação.

Assessoria de Comunicação

DSC_0229

Fotos: Thiago Santos/Texto: Rochany Rocha

 

E os agentes de segurança de Serra Talhada participaram ontem (06), de uma capacitação no auditório da Secretaria de Educação, com o objetivo de estreitar as relações de parcerias no enfrentamento à violência contra a mulher.

Destinado à Guarda Municipal, Polícias Militar e Civil, Superintendência de Trânsito, Bombeiros e Ministério Público, o evento contou com a palestra da Coordenadora de ações de prevenção de violência contra a mulher, da Secretaria Estadual da Mulher, Cláudia Barros, que falou sobre a Lei Maria da Penha – Gênero e Violência contra a mulher.

Para Cláudia, “a ideia é que cada um se sinta parte do processo e tornem-se multiplicadores das ações de combate a violência e, principalmente, em defesa da mulher”.

Já o Prefeito Luciano Duque falou da importância em se trabalhar com transversalidade, independente dos órgãos envolvidos. “Trabalhar em parceria com instituições que buscam o mesmo objetivo não é só uma escolha, é uma obrigação. Independente de órgão públicos, privados, ONG’s, entre outros, é necessário que tenhamos um olhar, acima de tudo, com cuidado e carinho por essas mulheres. Esse é nosso papel”, finaliza Luciano.

A iniciativa da Secretaria da Mulher, em parceria com o Centro de Referência de Atendimento à Mulher – CRAM, “visa fortalecer as instituições na luta à violência contra a mulher, dentro de suas especificidades, já que são os primeiros órgão procurados”, explica a Secretária da Mulher, Mônica Cabral.