Prefeitos participam de marcha rumo a Brasília para cobrar retomada de obras, Pacto federativo e “dinheiro”

O Prefeito de Afogados da Ingazeira e Presidente da Amupe José Patriota acredita que a Presidenta Dilma Roussef vai “driblar” os prefeitos que participam da Marcha dos Prefeitos, que acontece de hoje até a próxima quinta-feira  (28) em Brasília.

 

É que ela deve cumprir agenda no México essa semana. Patriota afirmou que vai cobrar uma pressão pelo Pacto Federativo e a retomada das obras como a transposição, Adutora do Pajeú, do Agreste e Barragem da Ingazeira além da crise econômica nacional que atinge as prefeituras pernambucanas com o impacto da falta de perspectiva das contas do Governo Federal.
A situação afeta de maneira mais profunda municípios de pequeno porte que não possuem receita própria e dependem da União para manter a prestação de serviços básicos. O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), prefeito de Afogados da Ingazeira, relata que “quase todos” os programas federais estão com atraso no repasse de verbas, sufocando as gestões municipais.

 

Segundo informações fornecidas pelo município, somente a Prefeitura de Afogados da Ingazeira sofre com o atraso de quase R$ 1 milhão de repasses de programas federais nas áreas de Assistência Social, Educação e Saúde. Muitos programas estão paralisados, prejudicando a população da cidade. É o caso de projetos como o Mais Educação (que prejudicou mil alunos com paralisação das obras), Cultura na Escola e Dinheiro Direto na Escola. Já programas como Escola Sustentável e Atleta na Escola não possuem nem mesmo previsão de retomada para 2015. São R$ 453.091,67 travados no Palácio do Planalto.

 

O atraso da parcela de abril do programa de Agente Comunitário de Saúde está obrigando a gestão municipal a pagar os funcionários com recursos próprios para não prejudicar os trabalhadores. Outros projetos como Academia da Saúde, NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), PMAQ (Programa de Melhoria da Qualidade na Assistência em Saúde), Saúde bucal, Piso da Atenção Básica Variável, CEO (Centro de Especialidades Odontológicas), CEO/Rede Viver sem Limites, CTA/SAE (Centro de testagem e aconselhamento e serviço de atendimento especializado a pacientes com DST’s e Hepatites) e Vigilância em saúde também estão com o pagamento de abril atrasado e sobrevivem com o aporte da prefeitura.

 

Vitrine da gestão do PT, as despesas de custeio e manutenção do Bolsa Família acumulam oito meses de atraso no município. Já o salário dos servidores do programa está seis meses atrasado. A soma gera um desfalque total de R$ 102.726,00. O prefeito José Patriota afirma que as prefeituras bancam a maior parte dos gastos dos programas que o governo federal criou e agora o pequeno repasse que a União faz está atrasando.