Prefeito de ST anuncia prestação de contas ainda este mês para mostrar “herança maldita”. Mas antecessor desafia Duque a aproveitar a “transparência” e explicar custos de obras paralisadas 

O prefeito Luciano Duque afirmou que ” o Governo (municipal) fará ainda este mês uma prestação de contas para dar transparência a sociedade de como recebeu o governo e os motivos pelos quais durante os dois anos o governo não pôde avançar.

O prefeito garantiu ao Caderno 1 que nos próximos dois anos finais vai avançar muito e fazer várias entregas, fruto de ajustes que foram feitos na máquina administrativa e completou diante da crise no país inteiro.

Sobre o “peixe grande” citado por governistas, que estaria saindo das bases do secretário Sebastião Oliveira, o prefeito não disse ser verdade ou não os boatos, apenas citou que “isto é do jogo democrático, e que está dialogando com o deputado Augusto César e alguns aliados do deputado Sebastião Oliveira, a exemplo do vereador Márcio Oliveira, Dr. Barbosa, e declarou que não existe a hipótese de criação de uma Secretaria de Segurança Pública para abrigar o vereador Cição, como se comenta nos meios políticos locais, garantiu que nunca aventei nenhuma possibilidade da criação dessa secretaria”, enfatizou.

Embora dizendo que não responsabiliza ninguém pela situação dos restos a pagar que encontrou na prefeitura, frisando inclusive que fez parte do governo anterior, Duque lamentou que teve muitas dificuldades de quitar restos a pagar, um dos elementos que dificultou a gestão”, e comparou sua situação à frente do governo municipal a um trabalhador que ganha R$ 7.200 por ano e gasta o dobro,  pois segundo ele, a prefeitura tinha o orçamento de um ano e teve que pagar dois.

O OUTRO LADO – O ex-prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro (PSB), respondeu desafiando o prefeito petista a aproveitar o gesto de transparência de que foi tomado e prestasse contas do dinheiro gasto no traçado do anel viário e nas obras de pavimentação do Ipsep. Além de muitas obras inacabadas como unidades de saúde e creches que precisam ter seus gastos esclarecidos.

De acordo com Carlos Evandro, Luciano Duque deve abrir a ‘caixa preta’ quando o assunto é transparência com o dinheiro público, pois São dois anos de governo sem nenhuma obra inaugurada com recursos próprios. E finalizou dizendo que se ele não deixar nada de débito para o seu sucessor vai aplaudir. Argumentando que Ferdinando deixou, Augusto César deixou e recebeu um monte de débitos do ex-prefeito Geni Pereira. Entre eles, contas de luz, e telefone.