Prefeito de Serra Talhada afirma que não tem razão para destratar Temer e não descarta saída do PT

Filiado ao PT, o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, afirmou que o presidente Michel Temer (PMDB) e o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), não passarão por nenhuma “saia justa” na cidade a exemplo do que ocorreu com o ministro da Cultura, Roberto Freire (PPS), em um evento no Palácio do Campo das Princesas.

O peemedebista e o democrata vão ao município para a inauguração de um Instituto Federal por volta das 11h00. Antes, Temer irá a Floresta, também no sertão, onde deve desembarcar de helicóptero às 09h30, onde deve assinar a ordem de serviço para a elaboração do projeto do Ramal do Agreste a partir da transposição do Rio São Francisco. O pouso inicial será no aeroporto de Paulo Afonso-BA.

“Vamos receber o presidente e o ministro com muito respeito como sempre recebemos todas as autoridades. Entendemos que Serra Talhada sempre procura receber bem aqueles que nos trazem benefícios. As questões políticas ficam em segundo plano”, garantiu Duque em entrevista ao Jornal do Comércio.

Ainda de acordo com o prefeito, a população de Serra Talhada só tem o que comemorar com a inauguração do Instituto Federal. “É uma conquista para o povo da minha cidade e para região. Tem uma importância histórica porque é ensino público, técnico e gratuito para o interior. A gente fica feliz com a vinda desse equipamento para cidade”, completa.

Esta semana, antes da confirmação oficial da vinda de Temer, Mendonça Filho afirmou que era positivo o fato da agenda presidencial ser realizada em uma cidade administrada por um prefeito petista.

Luciano Duque afirma que tem uma boa relação com o governador Paulo Câmara (PSB), desafeto do PT em Pernambuco, e com a direção do partido. “O governador tem nos tratado muito bem de forma republicana. Também me dou bem com os dirigentes do meu partido”.

SAÍDA DO PT
Recentemente, começaram especulações sobre a saída de Luciano Duque do PT. O prefeito não confirma e nem desmente que isso vá ocorrer.

“São especulações. Nunca afirmei que ia sair ou que ia ficar. Houve convites de outros partidos, mas eu só tomo decisões coletivas depois de escutar meu grupo, o conjunto de pessoas que vem governando com a gente. A decisão será em conjunto”, disse ao Blog de Jamildo.