PPS-PE expulsa vice prefeito de Floresta e vereador de Sertânia por infidelidade. Caso de vereadora de Afogados está sob análise

A direção do Partido Popular Socialista em Pernambuco (PPS-PE) decidiu, em reunião realizada na noite da segunda-feira (12), expulsar nove detentores de mandato que não votaram ou não apoiaram a candidatura dos deputados estaduais e federal da legenda nas eleições do ano passado.

Nenhum dos expulsos apresentaram suas defesas, descumprindo os prazos estabelecidos em notificação entregue pela Comissão de Ética do partido. Para a presidente estadual do PPS, Débora Albuquerque, os ditos infieis pensavam que o processo de expulsão não seria concluído. A convocação foi apresentada no dia 5 de novembro, eles tinham 15 dias para apresentar defesa, mas não se manifestaram.

Vereadora Antonieta da Caixa aguarda decisão. Foto: Jr. Finfa

Vereadora Antonieta da Caixa aguarda decisão. Foto: Jr. Finfa

Outros 10 denunciados por infidelidade partidária aguardam a decisão do Conselho de Ética, que analisa, caso a caso, as defesas apresentadas por estes. O partido encontrou indícios de que 18 vereadores e dois vice-prefeitos desobedeceram as resoluções do partido.

Aqui do Sertão foram expulsos:

Vice-prefeito Rinaldo Sampaio Novaes (Floresta); Vereador Geraldo Germano (Ibimirim) e Vereador Toinho Almeida (Sertânia)

Estão com as defesas em análise:

Vereadora Antonieta da Caixa (Afogados da Ingazeira); Vice-prefeita Janielma (Petrolândia), Vereador Dona Santa (Petrolândia) e o Vereador Geandro de Geni (Santa Filomena).