Policial Civil cusado de assassinar companheiro em Triunfo é expulso da corporação

O acusado de assassinato do policial civil Luciano Bezerra, na noite de 27 de julho em Triunfo de 2015 com cinco tiros a queima roupa, Phares Silva, que também é policial civil, foi expulso da corporação, dez meses após o fato.

A iniciativa partiu d em ato administrativo publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no mês de maio.

De acordo com o portal Nayn Netto, entre as alegações para corroborar a demissão, a Secretaria Estadual de Defesa Social (SDS) argumenta que Phares transgrediu o regime jurídico dos policiais civis de Pernambuco. Menos de um mês após o homicídio, ele se entregou na delegacia de Salgueiro na noite de 21 de agosto, onde permanece preso.

A corregedoria da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) também abriu sindicância para apurar, além das acusações sobre Phares Silva, a atuação de mais dois policiais civis da Capital do Xaxado que estiveram na noite noite do crime. Apesar de terem sofrido sanções, os dois policiais que teriam testemunhado o fato continuam na corporação.