Polícia Civil registra redução nas ocorrências de violência contra mulher em Serra Talhada. Autoridades e vítimas buscam explicações reais

Os números repassados pela delegacia de Serra Talhada mostram uma redução de quase 40% nos registros de violência contra a mulher. De janeiro até agora foram 124 ocorrências, enquanto no mesmo período do ano passado 202 vítimas representaram contra os agressores. Confira:

Janeiro 2014 = 34 ocorrências enquanto em janeiro de 2015 foram 12.

Fevereiro de 2014 = 33 registros, já em fevereiro deste foram 30.

Março de 2014 = 33 novamente, no mesmo mês de 2015 foram 35.

Abril de 2014 = 67 casos, maior diferença para abril de 2015 que registrou 27.

Em maio de 2014 = 35 ocorrências e maio de 2015 = 22.

 

Para o delegado regional, Olegário Filho, a redução de números da violência é algo para se comemorar, mas antes é preciso entender porque menos mulheres estão procurando a ajuda da polícia.

 

Já nova secretária municipal da mulher,  Mônica Cabral, acredita que a diminuição da procura está ligada as condições inadequadas de atendimento na delegacia, já que a cidade ainda não conta com uma delegacia específica da mulher.

 

Na opinião do irmão de uma jovem assassinada pelo companheiro em novembro do ano passado, o sentimento de impunidade leva a população a desacreditar do trabalho da polícia.  O moto taxista Paulo Robson lamenta que o acusado do homicídio foi identificado mas ainda não foi preso.

 

 

O último homicídio praticado em Serra Talhada vitimou uma mulher:  Francielba Vieira, 35 anos, foi assassinada a tiros pelo ex marido na última sexta (15) dentro da própria casa no bairro da Coxixola. assim como no outro crime, o acusado também não foi preso e está foragido.

Maio fechou com mais mais duas agressões. No bairro São Cristovão, Cícero José Gomes de Lima, 46 anos, partiu para cima da companheira e lhe agrediu com chutes na barriga, na boca e tapas na face e ainda correu atrás dos filhos com uma faca peixeira.

E no bairro Borborema, o mototaxista Gilson Braz da Silva, 46 anos, agrediu a esposa após ingerir bebida alcoólica. A vítima confirmou a Polícia Militar  que as agressões eram constantes.  Os agressores foram presos em flagrante.