Paulo Melo assume vaga deixada por Cícero Fernandes na Câmara de ST. Marcos Oliveira fica na primeira suplência

Pauo Melo

A morte do vereador Cícero Fernandes, Cição vai causar uma “reviravolta” na Câmara de Vereadores local. A morte do parlamentar deixa vaga sua cadeira que será ocupada pelo suplente da sua coligação, o ex-vereador Paulo Melo (PR), para se cumprir o determinado no regimento da Câmara, o suplente deve assumir de imediato, já que não pode ficar nenhuma cadeira  vaga no parlamento municipal, assim sendo, provavelmente já na Sessão desta segunda-feira (16), Paulo Melo participe como vereador empossado.

 

Um novo desenho político se forma na Câmara. Cição (PRP) era ligado diretamente ao grupo “sebastianista”, já Paulo Melo, embora do PR, é ligado politicamente ao deputado estadual e vice-presidente da Assembléia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Augusto César (PTB). A primeira suplência fica com Marcos Oliveira (PR), ligado ao ex-deputado Inocêncio Oliveira.

 

O Caderno 1 conversou por telefone nesta sexta-feira (13) com o deputado que informou ter “acabado de falar com o vereador Paulo Melo” e este lhe garantiu que continua alinhado politicamente ao mesmo. Ou seja, embora PR, Paulo Melo segue as orientações políticas de Augusto César, que assim sendo, passa, a partir da próxima semana, a ter dois aliados na Casa: Pinheiro e Paulo Melo.

 

Este desenho pode em um futuro próximo beneficiar o prefeito Luciano Duque, já que, na conversa com o C1, Augusto mais uma vez ratificou que não conversará sobre política com o secretário Sebastião Oliveira, “Já tivemos nosso tempo, não tem como mais fazer aliança com o grupo dele (Sebastião)”, disse e admitiu que sentará com o prefeito Luciano Duque para conversar sobre questões políticas.

 

O Grupo político do deputado do PTB, anda pressionando para que o mesmo tome uma posição favorável a uma aliança com o prefeito petista, Augusto por sua vez vem adiando tal decisão. Num primeiro momento pediu alguns números do governo, o que, conforme ele mesmo disse, já lhe foram entregues, agora “vamos ter uma reunião, segunda-feira, no Recife com Armando (senador) para tomar um posicionamento, a nível de Estado… aqui é outro assunto, mas vai pesar a decisão estadual“, disse Augusto, numa clara demonstração que não é descartada uma aliança com Duque (PT), já que, sua liderança (Armando Monteiro) tende a se aliar com o PT, partido do qual é ministro.