Ouricuri (Ariripe), Afogados da Ingazeira (Pajeú), Salgueiro (Central), Floresta (Itaparica) se destacam no Sertão com mais casos de dengue

De janeiro a março este ano foram notificados 41.531 casos de dengue (5.844 confirmados), distribuídos em 182 municípios e no distrito de Fernando de Noronha. Isso representa um aumento de 70,26% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 24.393 (sendo 12.360 confirmados). Os  municípios do Sertão mais incidentes (número de casos por 100 habitantes) nas oito últimas semanas são:

 

Ouricuri – 1.413

Araripina – 310

Afogados de Ingazeira – 285

Salgueiro = 229

Floresta = 189

Exu = 158

Brejinho = 155

Mirandiba = 86

Triunfo = 70

Santa Cruz da Baixa Verde = 58

Cedro = 46

Tuparetama =30

Itacuruba = 18.

 

 

 

 

 

Até o momento, 116 óbitos suspeitos pelas arboviroses foram notificados. Desses, 2 foram confirmados por chikungunya, ambos no município do Recife, e 4 foram descartados. Os demais estão em investigação. Em 2015, foram 13 óbitos suspeitos e 2 confirmados por dengue.

 

Quase metade dos municípios pernambucanos apresenta risco de surto de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, como dengue, zika e chikungunya. O último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), divulgado nesta quarta-feira (13), mostra que 91 das 184 cidades estão com índice a cima de 4%, que indica risco de surto – no boletim de fevereiro, eram 84.

O índice é elaborado pelas prefeituras e computado pela Secretaria Estadual de Saúde. Outros 75 municípios estão em alerta. Apenas 15 estão em situação satisfatória e três não informaram. Para elaborar o LIRAa, produzido de dois em dois meses, cada município é dividido em grupos 9 mil a 12 mil imóveis com características semelhantes. Desses, 450 são visitados.

O boletim traz ainda o balanço de arboviroses. O estado chegou a mais de 80 mil casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya. Eram pouco mais de 73 mil notificações até a última semana. O estado investiga 168 mortes possivelmente causadas por essas três doenças – nove por chikungunya e uma por dengue foram confirmadas na última semana. No mesmo período de 2015, tinham sido 15 óbitos suspeitos de dengue, com apenas três confirmações.

A dengue lidera as notificações no estado. Até o dia 9 de abril, foram notificados 55.502 casos, sendo 8.448 confirmados e 8.245 descartados – um aumento de 23,99% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 44.764 e 22.479 confirmados.

O distrito de Fernando de Noronha é o que tem a maior incidência do número de casos por 100 mil habitantes nas últimas oito semanas – 5.051,19. O segundo município é Moreilândia, seguido por Itambé, Brejo da Madre de Deus, Trindade, Ouricuri, Santa Terezinha, Jucati, Araçoiba e Garanhuns, todos com incidência a cima de 1.100 casos por 100 mil habitantes.

No mesmo período, foram notificados 16.488 casos de chikungunya, com 360 confirmações e 438 descartados. Na última semana, eram 15.332 casos suspeitos, dos quais 340 foram confirmados e 423 descartados. Já no ano passado, o total de notificações de casos suspeitos de chikungunya foi de 2.605, sendo 450 confirmados e 589 descartados.

Os casos suspeitos de zika no estado já somam 8.337 notificações, com 16 casos confirmados e 125 descartados. Desde a última semana, não houve alteração no número de confirmações. Até o dia 2 de abril, eram 7.900 casos notificados da doença no estado.

 

CHIKUNGUNYA

 

Casos: Entre os dias 3 de janeiro e 19 de março, foram notificados 12.269 em 153 municípios. Desses, 288 foram confirmados e 408 descartados.

 

Em 2015, foram notificados 2.605 casos suspeitos de chikungunya, sendo 450 confirmados (03 importados, 02 no município de Iguaraci e 01 em Itaíba, todos com infecção no estado da Bahia; e 447 confirmados autóctones, sendo 220 na região metropolitana do Recife) e 589 casos foram descartados.

 

ZIKA

 

Casos: Entre os dias 3 de janeiro e 19 de março, foram notificados 6.843 casos suspeitos. Desses, 4 foram confirmados (1 em Camaragibe e 3 em Sanharó) e 6 descartados.

 

Em 2015, desde o início das notificações obrigatórias de zika (a partir de 10/12), foram notificados 1.386 casos da doença.

 

Em 2015, foram confirmados 46 casos de zika em 20 municípios (Bom Jardim, Camaragibe, Caruaru, Flores, Goiana, Glória de Goitá, Frei Miguelinho, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Lagoa do Carro, Manari, Olinda, Paudalho, Paulista, Petrolândia, Recife, São José do Egito, Serra Talhada, Surubim e Vertentes). Os exames foram feitos pelo Instituto Evandro Chagas (IEC/SVS/MS) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz – PE/CpqAM).