Milhões de reais estão acumulados há meses à espera de utilização na Assistência Social de municípios pobres de PE

Em Pernambuco foi identificado um acúmulo de R$ 53 milhões de reais de recursos públicos nos cofres de Prefeituras de cidades com menores Índices de Desenvolvimento Humano – IDH que deveriam ser utilizados na área de Assistência Social. O saldo pode ser localizado em consulta pública no site do Fundo Nacional de Assistência Social disponibilizado no mês de junho.

Considerando que a média mensal dos municípios pernambucanos é de cerca de R$ 10 milhões, o valor disponibilizado representa cerca de cinco meses acumulados. No Sertão do estado, o município com menor IDH, Manari, tinha poco mais de R$ 2 mil no caixa em 2014, enquanto no ano passado, aumentou para mais de R$ 11mil reais.  Outros municípios que se destacam são: Itaíba, que tinha cerca de R$ 15 mil nos cofres ano passado agora em 2015 aumentou para mais de R$ 16 mil. Já Caetés dispunha de mais de R$ 400 mil ano apssado e este ano são mais de R$ 160 mil.

Os serviços correspondem a programas de transferência de renda como o Bolsa Família e instalação e manutenção dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e  Centros Especializados de  Referência de Assistência Social (CREAS) e Casas de Acolhimento e equipamentos públicos de Sistema Único de Assistência Social (SUAS).