Kaio Maniçoba e mais 19 deputados pernambucanos aprovam PEC 241 que penaliza a população mais pobre

A população que depende do sistema público de saúde e educação, tende a ser mais prejudicada com o congelamento dos gastos do Governo. A Associação Brasileira de Saúde Pública, por exemplo, divulgou carta aberta criticando a PEC PEC 241, aprovada 366 deputados em primeira votação, noite dessa segunda-feira (10). A emenda constitucional (PEC) do presidente Michel Temmer impõe limite ao gasto público.

“A PEC 241 é uma medida provisória que o governo esta tentando fazer virar lei já a algum tempo, Nessa lei consta que os recursos de verba que são destinados para a área da saúde e educação sejam congelados por 20 anos, afetando diretamente a todos, com isso na saúde o SUS e o SAMU não receberão mais dinheiro do governo e não haverá mais dinheiro para a compra de remédios deixando a situação bem precária, já na rede de educação tanto A nível federal, estadual e municipal as instituições de educação e serviço social não receberão mais nenhuma verba do governo pelo mesmo período de tempo de 20 anos havendo cortes de auxílios para estudantes como o Auxílio transporte, moradia, alimentação entre outros, outra medida que a PEC propõe é não haver mais nenhum concurso público pelos mesmos 20 anos afetando diretamente na área de trabalho, ou seja se você tem 18 anos só vai poder fazer concurso com 38, a pior parte disso é que a população mal está sabendo dessa situação e a lei está para ser decretada, se isso acontecer toda a população irá sofrer de forma lamentável pois estão tentando nos transformar em uma sociedade onde não teremos voz, saúde e educação, em uma sociedade feita para trabalhar e obedecer, uma sociedade de corruptos e ignorantes, o Presidente Michel Temer já disse que quer aprovar a lei e neste sábado irá se reunir em um jantar a noite com os deputados aliados para garantir a maioria de votos favor da PEC na segunda,  Os alunos de todos os Campus do IFRO pedem que a população se mobilize com a situação e compartilhem as informações nas redes  sociais, divulguem o assunto, mandem e mails para os deputados federais pedindo que votem contra e apoiem as comissões de mobilização e paralisação, lembrando que não há apoio partidário nenhum na causa e que tudo é feito perante a lei, somos um país livre e democrático vamos lutar pelos nossos direitos e exercer nossos deveres como cidadãos e deixamos já avisado de antemão que com o apoio de toda a população poderemos ir mais longe fazendo o que preciso for, pois ou Paramos a PEC ou Paramos o Brasil, desde já obrigado e contamos com vocês”, escreveu Luccas S. Lopes – aluno IFRO, Campus Colorado.

Veja na lista de cada deputado pernambucano que votou a favor do governo, ou dos próprios interesses, em primeiro turno:

  1. Adalberto Cavalcanti – PTB – Sim
  2. André de Paula – PSD – Sim
  3. Anderson Ferreira – PR – Sim
  4. Augusto Coutinho – Solidariedade – Sim
  5. Betinho Gomes – PSDB – Sim
  6. Bruno Araújo – PSDB – Sim
  7. Carlos Eduardo Cadoca PDT – Sim
  8. Daniel Coelho – PSDB – Sim
  9. Eduardo da Fonte – PP – Sim
  10. Fernando Coelho Filho – PSB – Sim
  11. Fernando Monteiro – PP – Sim
  12. Jarbas Vasconcelos – PMDB – Sim
  13. Jorge Côrte Real – PTB – Sim
  14. Kaio Maniçoba – PMDB – Sim
  15. Marinaldo Rosendo – PSB – Sim (apoiado por Carlos Evandro em S. Talhada)
  16. Pastor Eurico – PHS – Sim
  17. Ricardo Teobaldo – PTN – Sim
  18. Silvio Costa – PTdoB – Sim
  19. Zeca Cavalcanti – PTB – Sim

O deputado federal florestano Kaio Maniçoba, que é do mesmo partido de Temmer, emitiu uma nota de esclarecimento sobre o voto dele a favor da Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos:

Meus amigos e amigas!

Nesta manhã me deparei com vários elogios e críticas pelo meu posicionamento na votação da PEC 241/2016. E para dar uma satisfação aos meus eleitores não poderia deixar de expressar aquilo que entendo e acredito que é o melhor para o nosso País.

Vocês que são contra a PEC em algum momento pararam para ler a proposta? Ou simplesmente estão acreditando no que os outros dizem? Quantos discursos mentirosos de Deputados contrários a PEC, ouvi ontem à noite!

Ouvi discursos de pessoas que se posicionaram contra, simplesmente pelo fato de serem oposição ao governo, sem se importarem com o teor da matéria em si. E para esse tipo de gente, vale tudo! Até votar contra o Brasil, para satisfazer os seus próprios interesses. Interesses esses, mascarados de um discurso mentiroso e irresponsável, em prol do Brasil e dos trabalhadores.

Amigos, estamos vivendo uma crise sem precedente, talvez a maior de toda a nossa história. Essa ferida para ser tratada pode doer, essa dor atinge o corpo como um todo, ou seja, a nossa nação como um todo, mas o tratamento é necessário para que o corpo, nação, não venha entrar em óbito, não venha à falência.

Ao contrário do que muitos andam espalhando nas redes sociais, a proposta não reduz os gastos com saúde e educação, apenas os tornam mais transparentes e previsíveis, inclusive esses recursos serão corrigidos pelo IPCA a partir de 2017.

Muitos servidores federais estão chateados porque não terão um aumento real nos próximos anos, mas lembro que os salários serão reajustados pela inflação, assim como acontece com os trabalhadores regidos pela CLT.

Vale lembrar que os profissionais celetistas estão correndo o risco de perderem os seus empregos e muitos já perderam! Por que os celetistas podem ter os seus salários corrigidos de acordo com a inflação e os servidores não?! O momento que o Brasil passa requer união e compreensão. Não podemos beneficiar uns e matar outros. Se for para reajustar as contas, que TODOS sofram as dores, para depois TODOS usufruirmos da saúde financeira do nosso País.

Esse ajuste fiscal vem para o FUTURO BEM DE TODOS. Foi preciso tomar a decisão correta agora, para que o barco não afunde com ricos e pobres. Tenho fé que essa crise vai passar, saibam que fiz a minha parte e tomei a atitude responsável, pelo sim a PEC”.

O mi mi mi do deputado do mesmo partido de Temmer, que acabou de perder a eleição municipal em casa, deixou a população ainda mais revoltada:

“Eles não pensam nos brasileiros. Depois vem com a cara de bonzinho pedir votos. Porque eles não começam dando exemplo: diminuindo o número de deputados, de assessores, despesas com viagens e outras mordomias?”, questionou o advogado Emanoel Serapião.

Nesta terça-feira (11), alunos do campus Zona Rural do Instituto Federal do Sertão Pernambuco (IF Sertão-PE) queimaram pneus e bloquearam a BR-235, que liga Petrolina, no Sertão pernambucano a Casa Nova, na Bahia. Os estudantes protestaram contra a PEC 241, que estabelece um teto para o aumento dos gastos públicos pelas próximas duas décadas e que pode afetar a assistência estudantil na unidade.

De acordo com o G1, os alunos também utilizaram faixas e cartazes para chamar atenção para o manifesto. Segundo a organização do movimento houve a participação de 300 estudantes e a rodovia ficou interrompida mais de duas horas.

O estudante de agronomia do IF Sertão-PE, Victor Flores, disse que este foi um ato contra a PEC 241 e que foi convocado após uma assembleia realizada por estudantes nesta terça-feira (11). “Já estamos trabalhando no vermelho. A PEC 241 vai impactar no funcionamento da instituição. Aqui um dos motivos de evasão é a falta de assistência estudantil, porque o campus é isolado e essa PC vai impactar diretamente nisso e a gente precisa de assistência estudantil”, esclarece.