Jovem mestrando de São Paulo troca experiência com assentados do Barra Nova, em Serra Talhada

Diogenes 1

Diógenes Rabello, estudante de mestrado em geografia pela Universidade Estadual Paulista – Campus Presidente Prudente (FCT/UNESP), visitou as experiências da agricultura familiar, com base na agroecologia, praticadas pelas famílias agricultoras do Assentamento , sertão do Pajeú, Na manhã desta quarta-feira (25). Durante a visita, o jovem conheceu a produção de hortas, plantas frutíferas e nativas.

Após a visita, Diógenes conheceu a estrutura da ONG Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor), com o propósito de entender como a Instituição incentiva a prática agroecológica, através da assistência técnica, nos municípios de atuação. “Por vim de uma região tradicional de populações camponesas, do Pontal Paranapanema(SP), nossa dificuldade em implementar a agroecologia é a pulverização área de agrotóxico protagonizado pelas usinas de cana de açúcar. Por isso, vim conhecer o Cecor, para levar esses ensinamentos e aplicá-los na nossa região”.

O jovem interessado em mudar a realidade das 68 famílias do Assentamento Dom Tomás Balduín, no município de Sandovalina, em São Paulo (SP), onde a família do mesmo mora, quer conhecer, na prática, como a agroecologia se comporta em cada região do Brasil. “Conheci essa palavra “agroecologia”, na faculdade e, a partir de então, quero beber mais dessa fonte, conhecer e defender essa prática porque, além de ter o caráter de agricultura que favorece a preservação do meio ambiente, no sentido de trabalhar com os recursos naturais, tem uma proposta política-social no enfretamento à hegemonia do capitalismo no campo”, concluiu Diógenes.

Ao ser questionado sobre os desafios, ele falou que um deles é incentivar a agroecologia e a quebra do capitalismo da monocultura, do agrotóxico, afim de que todos entendam que é possível uma nova forma de trabalho com a terra e socialmente mais justa.  No final do curso de mestrado, Diógenes vai apresentar o projeto de pesquisa sobre: “Expansão do Agrohidronegócio canavieiro no Pontal Paranapanema (SP) e os desdobramentos para agroecologia: Estratégias de reprodução dos camponeses”.