Hospital Geral do Sertão em Serra Talhada e Duplicação da BR-323 até Arcoverde estão entre as emendas consideradas prioritárias para Pernambuco

Apesar da crise  financeira que enfrenta, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), apresentou durante este ano a bancada de deputados e senadores pernambucanos as emendas que o estado considera prioritárias para serem incluídas no Orçamento Geral da União (OGU). Os projetos, que custam R$ 1,6 bilhão, são nas áreas de saúde, recursos hídricos.

O empenho dos deputados e senadores para atender às demandas do estado também foi destacado pelo deputado André de Paula (PSD/PE). “Orçamento é o coração de todos dos projetos, e Pernambuco tem a tradição de lutar por esses recursos”, frisou ao Diário de Pernambuco. No encontro, as propostas foram apresentadas pelo secretário estadual de Planejamento e Gestão, Fred Amâncio. A proposta do orçamento tem que ser votado até o dia 31 de dezembro.

Da reunião com Paulo Câmara participaram o vice-governador eleito, Raul Henry (PMDB), o senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez. O senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Humberto Costa (PT) e os deputados federais Cadoca (PCdoB) e Pastor Eurico (PSB) não compareceram porque estão em viagem oficial no exterior.

Ainda segundo o deputado André de Paula, Câmara teve ainda uma reunião com a representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Daniela Carrera-Marquis.

Propostas de emendas do governo Paulo Câmara

Prioridades

Hospital Geral de Cirurgias (Recife)
R$ 120 milhões (construção e equipamentos)
Contrapartida do governo do estado
R$ 15 milhões

Hospital Geral do Sertão (Serra Talhada)
R$ 120 milhões (construção e equipamentos)
Contrapartida do governo do estado
R$ 15 milhões

Duplicação da BR-323 (São Caetano a Arcoverde)
R$ 680 milhões
Contrapartida do governo do estado
R$ 68 milhões

Construção da Barragem Engenho Maranhão (Ipojuca)
R$ 360 milhões
Contrapartida do governo do estado
R$ 36 milhões

Propostas extras

Duplicação de 43 quilômetros da BR-408 (Carpina/Timbaúba)
R$ 320 milhões
Contrapartida do governo do estado
R$ 32 milhões

Reforma, ampliação e equipagem do Hospital Barão de Lucena
R$ 45 milhões
Contrapartida do governo do estado
R$ 5 milhões

 

É esperar pelas emendas mesmo, já que por conta da dificuldade de caixa e da redução dos recursos federais para o Estado, o atual governo enfrenta aperto financeiro desde o começo, o que reflete em obras paradas ou em ritmo lento.

DÍVIDAS

Além da redução de repasses, há as dívidas deixadas pelo ex-governador Eduardo Campos. De acordo com informações do Tesouro Nacional, Pernambuco teve valores da Dívida Consolidada Líquida (DCL) – índice que mede dívidas de convênios, empréstimos e demais operações financeiras – dobrados nos últimos quatro anos.

Em 2010 o DCL era de R$ 4,7 milhões. Já o relatório de 2014 aponta uma dívida de R$ 8,7 milhões. O percentual de endividamento também sofreu alterações nos últimos anos que correspondem ao governo de Eduardo Campos. Em 2010, o índice era de 38%, mas este ano índice chega a 49%.