Floresta apresenta números alarmantes de arboviroses e recebe reforço do exército no combate ao mosquito aedes aegypti

Os Agentes de Endemias da cidade Floresta, no Sertão do Estado, receberam essa semana um reforço de 12 oficiais do exército, pertencentes ao Batalhão de Garanhuns. Os números justificam a ação: com um pouco mais de 30 mil habitantes, o município já notificou, só este ano, 155 casos de doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti, além de quatro suspeitas de microcefalia, com a morte confirmada de uma criança.

O campo de batalha desta guerra declarada ao mosquito são as residências e o comércio. Os moradores recebem orientações para evitarem a proliferação de larvas, principalmente nos quintais. O trabalho de prevenção também está sendo desenvolvido com estudantes e o auxílio de drone registrando principalmente depósitos com água descobertos. Assista a matéria:

Em apenas seis dias foram atendidos mais de duas pessoas com sintomas de dengue, zica e chycungunya no hospital da cidade, uma média de 400 atendimentos por dia.

Além dos bairros Caetado I e II, quase todos os moradores da Capitão Euclides de Souza Ferraz, no centro da cidade sentiram os efeitos da febre Chikungunya. Rua onde está localizado um depósito de material reciclável ao ar livre.

De acordo com o secretário de saúde de Floresta, José Giovani, o depósit foi localizado por meio do drone e representa umambiente ideal para a proliferação do inimigo número 1 da cidade. A proprietária será convocada pela secretaria de saúde para resolver o problema.