EXCLUSIVO: Guarda Municipal fecha parceria com a Secretaria Municipal da Mulher para oferecer noções de defesa pessoal para mulheres vítimas de violência

Graças a uma parceria firmada entre o Comando da Guarda Municipal de Serra Talhada e a Secretaria Municipal da Mulher, as mulheres da cidade devem receber noções de defesa pessoal para prevenir situações de violência doméstica com o companheiro (a).

 

De acordo com Amaro, Instrutor da Guarda Municipal de Serra Talhada, o objetivo é levar as vítimas a terem atitude para evitar situações de agressões, como por exemplo, agir após sofrer uma situação de violência doméstica.

 

“As mulheres vão receber noções de defesa pessoal na prática, o que vai segurança e autoconfiança para elas. Ao ser agredida a vítima vai saber como se defender, pois o treinamento vai dar condições de uma vítima sair da situação de agressão, mesmo que o porte físico inferior”, afirma.

 

Ainda segundo Amaro, a mulher terá condições de se defender mesmo com menos força e tamanho, mas através da técnica, mesmo que o agressor seja mais alto e forte. “Não vai ser um treinamento baseado na ficção das lutas marciais dos filmes, mas vamos mostrar o básico, dentro da realidade”, garante.

 

A questão psicológica também deve entrar no contexto do treinamento da seguinte forma: a mulher deve se colocar no lugar do agressor para ter noção de como agir no momento de perigo. As mães também devem observar as atitudes das crianças, se estão retraídas podem estarem sofrendo abusos.

 

Também serão trabalhados os cuidados das mesmas com os padrastos de enteadas mocinhas. As mães devem orientar as filhas de procurarem evitarem despertar atenção dos mesmos, através de ações preventivas como não dormir com a porta aberta e sair do banho vestidas.

 

As mulheres também serão treinadas a procurarem possíveis motivos que levam os esposos agirem com agressividade, pois 80% dos homens que são agressivos com as mulheres sofreram agressões na infância, por isso são possessivos e não deixam as esposas trabalhares, não atenderem telefones. Outro fator que contribui para a violência é o fato das frustações externas, geralmente eles descontam nas mulheres. As drogas lícitas e ilícitas só pioram a situação.

 

Para Amaro, infelizmente não há fiscalização para fazer cumprir a Medida Protetiva, que determina que agressor fique a uma distância de 200 metros da vítima. “Enquanto os agressores vão agredindo fisicamente e as vítimas vão ficando eles acreditam que estão controlando a situação, mas quando se sentem ameaçados, eles recorrem as armas brancas ou de fogo para ver se elas recuam, quando não conseguem, parte para o estágio seguinte, que é o assassinato” lamenta o instrutor da Guarda Municipal de Serra Talhada. Mas ao receberem noções de defesa pessoal, as serra-talhadenses vítimas da covardia dos “parceiros” terão agora segurança para agir. (Com informações de Francisco Carlos/A Jornada)