Empresário propõem doar terreno para construção do presidio em Serra Talhada. Nossa enquete pergunta: você concorda?

O empresario do ramo imobiliário, Mario Olímpio, está com a ideia de doar um terreno para a construção de um presidio em Serra Talhada. A pretensão dele deve gerar um bom debate, podendo ocasionar em uma audiência publica, com representantes da sociedade civil, OAB, SINTEST, UEST(Estudantes de Direito), etc.
“A questão do presidio gerará um ótimo debates, pois tem seus pós e contras. Nos anos 60, houve um cogitação de um presidio em Serra Talhada. Os deputados Dr. Neto (pai de Sebastião Oliveira) e Afranio Godoy (primo legitimo da mãe do prefeito Luciano Duque) foram contra. O deputado Argemiro não sei informar ou não lembro o posicionamento dele. Sei que foi construído a Colonia Penal Agrícola, em Floresta, no governo Paulo Guerra. Transferida depois para Canhotinho, no governo Eraldo Gueiros que era natural de lá. Só que os tempos hoje são outros. Por isso, ainda não tenho minha opinião pessoal formada sobre a questão presidio. Prefiro escutar quem conhece o assunto”, disse o historiador Luiz Ferraz Filho.
Já o analista político Adelmo Rodrigues afirma que não precisa ter conhecimento jurídico ou outro qualquer para saber que um presídio no município seria um atraso moral pra Serra Talhada. “Se fosse vantagem muitos municípios estariam brigando por isso. A prova disso é que duvido que Petrolina aceite.  O único que se propõe a doar terreno é pessoa daqui. A pergunta é a seguinte:  você hospedaria em sua casa bandidos  irrecuperáveis.  Quem pensa diferente não  preserva a família. Mande construir  um presídio no amazonas”, opina.
Lançamos uma enquete no nosso blog para saber a opinião do serra-talhadense. Deixe seu posicionamento ao lado.
O fato é que a cadeia pública da cidade precisa de uma reforma urgente pois a estrutura está comprometido. Enquanto isso, a cadeia pública de Floresta continua interdita após fuga de detentos e os presos da cidade são levados para a cadeia de Belém do São Francisco, que já não tem estrutura.