Duque e Victor trocam farpas durante debate e empreiteiro vira elemento surpresa

O debate realizado pelo FAROL DE NOTÍCIAS neste sábado (24) em parceria com a rádio VilaBela FM foi um sucesso. Esta foi a avaliação dos coordenadores após 3 horas de enfrentamento entre os candidatos a prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), Victor Oliveira (PR) e Otoni Cantarelli (PC do B). Divididos em quatro blocos, os candidatos responderam perguntas dos leitores, fizeram perguntas entre si e discutiram nove temas sorteados pela equipe do FAROL.

Mediado pelo professor e escritor Paulo César Gomes, um dos pontos altos do confronto aconteceu logo no início quando vieram a tona os temas educação e saúde. Curiosamente, o empreiteiro Kléber Lins, que apareceu no guia do PR denunciando um calote de R$ 360 mil do prefeito Duque, foi usado como arma contra o próprio Victor Oliveira.

O prefeito-candidato entregou a produção do FAROL cópia de um suposto diálogo entre o empreiteiro e uma outra pessoa não identificada, onde o Kléber Lins afirma que será o secretário de Obras caso Victor seja eleito. O empreiteiro entrou na Justiça contra o Duque por não ter pago serviços de terraplanagem da UPA 24 Horas que começou a ser erguida no bairro do Ipsep.

No debate Victor negou a existência de qualquer tipo de acordo sobre o assunto e acusou o prefeito de agir com inverdades. “Eu peço que o candidato não tente confundir a população com inverdades. Primeiro de tudo, eu nunca negociei nenhum cargo com empresário nenhum para poder criar qualquer tipo de denúncia. Ele fez essa denúncia porque ele quis e porque você deixou de pagar a obra da UPA e é por isso que ela está parada. As obras que você diz que fez na saúde foram todas deixadas por Dr. Carlos Evandro”.

Já o candidato Otoni Cantarelli que dispõe de apenas 36 segundos no guia eleitoral, sustentou o discurso que vem repetindo no seu guia de rádio, tentando ser mais propositivo. Por várias vezes o prefeito Luciano Duque evitou o confronto direto com Victor Oliveira, fazendo perguntas a Cantarelli, que não conseguiu ser tão objetivo nas respostas.