Dilma recebe apoio de militância em visita à Transposição do São Francisco em Cabrobó, no Sertão

A vistoria de Dilma à estação de bombeamento 2 (EBI-2) da transposição do Rio São Francisco, nesta sexta-feira (6), arregimentou apoiadores de várias regiões do sertão nordestino, principalmente das áreas próximas ao empreendimento.

Movimentos sociais fretaram ônibus para trazer os grupos. Bandeiras da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Fetape e camisas vermelhas se destacavam na plateia, que veio incentivar a mandatária. Trabalhadores da empreiteira Mendes Júnior, responsável pela obra, também engrossaram o coro pró-Dilma. Mais do que a vistoria, a intenção do ato era capitalizar a força que Dilma e o PT ainda tem na região, além de reforçar as impressões digitais dos governos petistas na obra hídrica.

LEIA TAMBÉM
» Em tom de despedida, Dilma diz em Pernambuco que ficará triste se não vir fim da Transposição
» Prefeito de Cabrobó diz que não foi convidado para visita de Dilma
» Vereadores de Cabrobó contratam ônibus para levar população a evento com Dilma
» Dilma visita obra da Transposição atrasada há seis anos

Da plateia, uma claque gritava “Dilma, Dilma”. O apresentador do evento também puxava coros de “Dilma, eu te amo” e o público repetia. Na tenda armada para receber as pessoas tinham manifestantes de várias regiões do Nordeste, como Lindomar de Souza, 42 anos. Ela saiu de Pena Forte, no Ceará, para ver a petista. A agricultora chegou de ônibus acompanhada do marido e disse que sempre segue Dilma e Lula nas agendas pelo interior do Nordeste. Ela disse que não poderia ficar de fora do ato em Cabrobó e foi ao local dizer que está ao lado da presidente.

Por Marcela Balbino, do Jornal do Commercio