Dezenas de pessoas tomam banho e consomem bebidas e comidas dentro Canal da Transposição no Sertão

Dezenas de pessoas tomam banho dentro canal da transposição em Sertânia, Pernambuco. Uma folia regada a bebida alcoólica, que deixou sujeira espalhada em vários pontos. Imagens e vídeos que circulam nas redes sociais mostram carros estacionados às margens do canal, com as malas abertas e o som ligado, enquanto as pessoas tomam banho no canal e consomem bebidas. As garrafas, latinhas de alumínio, papéis e plásticos são deixados no local.
IMG-20170303-WA0046 IMG-20170303-WA0047
“Olha o que estão fazendo no canal da transposição em Sertânia Pernambuco. QUE FALTA DE RESPEITO.  Como vai chegar essa água na residências e serem consumida se estão tomando banho, e fazendo suas necessidades fisiológicas dentro dela”, escreveu o funcionário do IPA, Tito Jota.

De acordo com o Seridó Notícias, o diretor do Dnocs na Paraíba, Alberto Gomes, lamentou a atitude dessas pessoas e disse que já fez um alerta às autoridades responsáveis pela gestão das águas, para coibir esses “abusos”. Além do risco à vida dessas pessoas, já que em alguns trechos a correnteza do canal é muito forte, Alberto chama atenção para a poluição que está sendo produzida pela ação do homem, mesmo antes do eixo leste ser entregue oficialmente.
NOTA | MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL
O Ministério da Integração Nacional tomou conhecimento de que algumas das estruturas do Projeto de Integração do Rio São Francisco estão sendo indevidamente utilizadas pela população para práticas recreativas. Nos locais, que já estavam devidamente sinalizados, a fiscalização foi reforçada e está sendo realizada uma campanha de conscientização com a população da região, por meio de carros de som e divulgação em rádios.
Além disso, equipes em campo – das áreas Ambiental e de Comunicação Social do Projeto –, responsáveis por realizar o contato direto com a população local, sempre reforçaram aos moradores os perigos da utilização inadequada das estruturas.
O Ministério reitera que a água e as infraestruturas da obra não podem ser utilizadas para atividades de lazer e, por questões de segurança, também é estritamente proibida a entrada de pessoas não autorizadas nos locais. O empreendimento foi projetado para a condução da água e não para práticas aquáticas. Há alto risco de afogamento por conta da correnteza e da profundidade dos reservatórios, que varia entre 10 e 69 metros.
 É importante também que os moradores estejam conscientes de que não é permitido jogar lixo ou alimentos nos reservatórios e canais, podendo afetar a qualidade da água, que tem a finalidade de promover o abastecimento humano.