Deputados federais pernambucanos apresentam muitos projeto, mas poucos viram leis

Os 25 parlamentares pernambucanos estão com dificuldades de transformar em leis a maior parte de suas idéias. Nos últimos quatro anos apresentaram cerca de 400 matérias mas menos de 10 foram aprovadas.

Na análise do Diário de Pernambuco, poucos federais terminarão o ano com a oportunidade de ter escrito outro capítulo na Constituição Brasileira.

De Pernambuco, Mendonça Filho (DEM) foi o único que conseguiu que conseguiram transformar em realidade dois projetos, dentro os 38 que apresentou. Uma lei para reduzir os encargos sobre transportes municipais e outro para beneficiar pólos de tecnologia de alguns estados, incluindo Pernambuco.

Outros projetos destaques que viraram lei foi o da Reforma Política, de autoria de Bruno Araújo e outros dez pernambucanos. Além de outros voltados para a cultura, de autoria dos petistas João Paulo (ex deputado) e Pedro Eugênio (falecido), Luciana Santos (PC do B), Paulo Ruben (PDT) e Raul Henry (PMDB), hoje vice governador.

Um dos mais polêmicos em debate foi o do deputado pernambucano Anderson Ferreira (PR), que considera núcleo familiar apenas o formado por homem e mulher.

Sílvio Costa (PSC) diz que isso acontece porque os projetos deveriam passar primeiro pela Comissão de Justiça, que diz se a matéria é constitucional, ou não. Ele lembrou que apresentou projeto para mudar o regimento interno da casa, em vão.