Crise leva governo de PE a cortar apoio financeiros a festas em municípios e ainda penaliza terceirizados da cultura

Os cortes governo estadual atingirá em cheio as prefeituras. “Vamos tomar medidas duras e restringir shows, festas e apoios totalmente a partir de agora. Não temos mais condições de bancar isso”, informou Paulo Câmara (PSB). Clique abaixo assista a seguir ao governador falando da crise no Estado:

O secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Felipe Carreras, afirmou ao Jornal do Comércio que não vê problemas na decisão de contigenciar os recursos para a realização de eventos e informou que a medida vale daqui para frente. “O que já havia sido pactuado (de apoio financeiro) dentro do calendário turístico está garantido”, detalhou.

Os terceirizados da cultura também sofrem com a crise. Funcionários da Fundarpe não receberam ainda o salário de julho. O governo prometeu que faria os repasses atrasados para a empresa terceirizada neste dia 20/09, coincidência ou não, um domingo.

O secretário de cultura, Marcelino Granja, pediu que os funcionários fossem solidários com a situação. Mas será que o vencimento dele está atrasado? claro que não.

Enquanto aguardam o pagamento sem data certa, os funcionários não tem ido trabalhar e temem que com o agravamento da situação mais demissões possam acontecer. A empresa Unika não quis se pronunciar.

Para piorar, eventos tradicionais como o Festival Pernambuco Nação Cultural e da Poesia serão cancelados.