Candidatos folclóricos pleiteiam vagas de vereador nas eleições deste ano em Serra talhada

São algumas opções: ET de Caiçarinha, Beleza, Baiano, Balala, Antônio da melancia, Chica do vila bela,  Antonio do fole, Tonho do Caldo, Reninho do ônibus, Kakazinho do pagode, Nêgo da capoeira, Penha príncipe, Josuval Barbosa, Geoge Albino,  Juvenal da Areia, Fabiana Borborema, Drica da Caxixola, Nenen Rajada, Iara do Conselho, Luiz de Né da Barra, Rogério da Pitú, Luzia da cagep, Gean car, Moraes SD, entre outros.

O destaque vai para Antonio Venâncio Pereira Nogueira, 49 anos, que vende caldo de cana há 20 na Praça Manoel Pereira Lins, mas às segundas-feiras não vai direto para casa à noite, segue outro destino, a Câmara Municipal de Serra Talhada, onde não perde uma Sessão Ordinária.

Antônio do Caldo’ afirmou que o objetivo é observar as promessas e os debates dos vereadores. Daí surgiu o projeto de ser um deles. Filiado ao partido Solidariedade, do pré-candidato a prefeito Marquinhos Dantas, admitiu ser difícil sentar em uma das 17 cadeiras, não tem nenhum projeto em mente, mas o SONHO de chegar lá.

2 comentários

  • Mem responda por favor! por que são candidatos folcloricos pro que sao pessoas que trabalha mas comunidades com a população e também não tem dinheiro. ou por que esses candidatos só deveria servi de cado eleitoral para quem tem dinheiro. Talvez essas pessoas tenha mas conhecimento e vontade de trabalhar pelo o povo e pela suas comunidades ,eles só querei uma oportunidades. eu parabenizo esses pré – candidatos e vamos munda esse quadro.

    • Porque adotam nomes que chamam a atenção, assim como o saudoso Lambreta em Caruaru, que foi o mais votado e um dos mais produtivos da Câmara. O fato de o nome folclórico não quer dizer que não tenha boa intenção e capacidade. Abraço josé.