Candidata a vereadora de Santa Cruz da Baixa Verde aparece como beneficiária de doação de R$ 75 milhões

O Tribunal Superior Eleitoral atribui uma suposta doação de 75 milhões de reais a candidata a vereadora nas eleições de 2016, Maria Geni do Nascimento, no município de Santa Cruz da Baixa Verde. De acordo com a revista VEJA, quem aparece como doador é Pedro Henrique da Silva Rodrigues, estudante de Licenciatura em Letras e beneficiário de uma assistência estudantil (bolsa) da UFRPE, referente a auxílio alimentação no valor de R$ 120.

A agricultora Geni recebeu 13 votos e ficou na suplência da Câmara Municipal do município de 12 mil habitantes, a 450 quilômetros de distância de Recife, em Pernambuco. Apesar da doação milionária, não há nenhuma despesa registrada na contabilidade que Geni apresentou ao TSE. No Portal da Transparência do Governo Federal consta o nome de Maria Geni do Nascimento como beneficiária de 91 reais mensais do Bolsa-Família.

Geni, como se apresentou aos eleitores do PDT, tem ficha limpa. Ela entregou certidões ao TSE mostrando que não tem crimes em seu currículo. A doação exata foi de R$ 75.000.844,36. Pelos registros do TSE, o repasse foi feito através de transferência eletrônica, no dia 30 de setembro.

A coligação de Geni, afirma que o erro foi da própria candidata a vereadora, no município de Santa Cruz da Baixa Verde, Maria Geni do Nascimento (PDT). Na verdade, segundo constatação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Geni recebeu a única doação no valor de R$ 75 reais e se equivocou no momento em que preencheu o sistema eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a doação feita a ela pelo estudante universitário Pedro Henrique da Silva foi contabilizada no valor de R$ 75 milhões. O valor foi apontado como uma possível doação irregular por relatório apresentado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).