Banco de praça é furtado na calada da noite em Serra Talhada. Não havia ninguém tomando do patrimônio público

O banco foi levado pracinha da rua José Alves da Silveira, centro de Serra Talhada, na semana passada.

“Infelizmente amanheceu assim, roubaram o banco da praça, com certeza a noite, aonde vamos parar?” denunciou nas redes sociais Antonio Nogueira, o popular Antonio do Caldo de Cana. Ele já havia tirado a foto do banco e aproveitou para registrar outra imagem do local vazio.


Segundo informações de moradores, não é a primeira vez que algo é roubado da mesma praça. Há dias atrás levaram um rastreador e uma bateria de um dos caminhões pipa de Aldemir Mourato. Fica a pergunta: Quem e que toma de conta dessa praça?

A feira livre é outro local vulnerável a ação de ladrões devido o abandono do poder público:

Lanceiro aproveita a falta de guardas municipais e pratica furto no pátio da feira livre de Serra Talhada

A guarda municipal é que não é, deveria ser pois o principal papel é proteger o patrimônio público, mas não é efetivo suficiente para proteger as praças e demais órgãos públicos que ficam vulneráveis as ações de ladrões.

A falta de investimento e reconhecimento da importância da Guada Municipal Serra Talhada é nítida. A pequena frota para o tamanho da cidade é mal equipada e explorada. Segundo denúncia do vereador e novo líder da oposição, Antonio de Antenor (PR), na rádio Líder FM, os poucos guardas recebem apenas R$ 770,00, as gratificações somam o valor dos salários, para piorar, horas extras não foram pagas e os vencimentos chegaram a atrasar 60 dias.

Em novembro, nosso blog noticiou que um guarda municipal de Serra Talhada, que não pode se identificar, confirmou que após as eleições passou a trabalhar 48 horas ininterruptas para 72 horas de descanso. Detalhe, a responsável pela repartição do plantão não queria permitir nem o intervalo para a refeição na residência do mesmo.

A nova escala de trabalho passou a valer após a reeleição do atual prefeito Luciano Duque (PT), coincidentemente após algumas demissões para ajustar a “máquina inchada” e cumprir a lei de responsabilidade fiscal. A situação gera estresse poderia ser alvo de investigação do Ministério do Trabalho.

Criada na gestão do governo Augusto César (1993-1996) a Guarda Municipal de Serra Talhada vive um dos momentos mais críticos  desde a sua fundação. Um dos principais objetivos da guarda é zelar e ajudar na preservação do patrimônio público, entre  eles, praças, escolas, postos de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *