Após novo confronto, líder da oposição na Câmara de Serra Talhada promete abrir BO contra colega

Os vereadores Rosimério de Cuca (PMN) e  Antonio de Antenor (PR), líder da Oposição, voltaram a se enfrentar na tribuna da Câmara Municipal de Serra Talhada durante a sessão ordinária, nessa segunda-feira (9).

Tudo começou quando o vereador governista Rosimério insinuou que no período que Antenor foi presidente da Casa Legislativa houve a existência de fraudes na construção do prédio da Câmara. “A Lava Jato começou em Serra Talhada quando você foi presidente da Câmara”, alfinetou Rosimério.

A reação de Antonio de Antenor veio após o término da sessão, durante entrevista ao Farol de Notícias e o programa de rádio Frequência Democrática. O republicano assegurou que irá abrir um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia de Serra Talhada contra o seu colega.

“Eu recebi uma crítica muito violenta a minha pessoa. Primeiro eu já falei a Serra Talhada que não fiquei oito anos inelegível apenas cinco anos, e realmente o vereador não foi feliz. Vou abrir um Boletim de Ocorrência (BO) e vou entrar com ele (Rosimério) na Justiça para ele provar que a Lava Jato foi na minha presidência”, disse Antonio de Antenor, fazendo questão de explicar os fatos da época.

“Eu cai neste episódio da construção do prédio da Câmara porque recebi uma licitação com R$ 628 mil, e eu repassei para empresa R$ 428 mil. Portando, os R$ 200 mil que ficou ai o Tribunal de Contas entendeu que a obra estava superfaturada. Então, eu cai numa lama porque não tive uma assessoria boa, mas tenho a consciência que não peguei um real”, disse Antenor reforçando: “Agora ele vai provar na Justiça se a Lava Jato começou na gestão de Antonio de Antenor. A palavra é muito pesada e vou pegar a gravação e processar e a Justiça vai decidir quem está falando a verdade”.