Anuncio do “condominio industrial” e instalação de fábrica de máquinas alemã fora do prazo em Serra Talhada

Em novembro do ano passado o “Diário de Pernambuco” destacou a instalação da fábrica Alemã Hammertec, no futuro “Distrito Industrial” da cidade. A obra anunciada pelo Estado ainda no Governo de Eduardo Campos tinha previsão de iniciar a produção entre o final de 2015 e início de 2016.

 

No entanto, chegamos ao meio do ano e nenhuma sinalização da badalada fabrica máquinas voltadas para construção civil e chega a Serra Talhada que teria um aporte de 8 milhões de euros (R$ 25 milhões).

 

 

Ainda segundo o “Diário de Pernambuco” a fábrica será construída em um terreno de 2,5 hectares, doados pela Prefeitura de Serra Talhada. Esta informação é confirmada pelo prefeitura, que depois de esperar por muito tempo, optou pela instalação do “Condomínio Industrial do Município”, para isso, adiantou-se e já enviou para Câmara  o Projeto de Lei nº 24 que cria incentivos para que indústrias se instalem na Capital do Xaxado.

 

Segundo Erbet Casa Nova, diretor da Confiance Gestão Contábil e Negócios, que vem intermediando a instalação da fábrica em o município, Na fábrica, serão produzidos dois equipamentos de cravação de estacas para construção de subsolo: martelos vibratórios – 70% mais silenciosos que outros sem tecnologia e usados para a fundação e contenção – e martelos hidráulicos, utilizados apenas para fundação.

O empreendimento irá gerar 60 empregos diretos e 100 indiretos. A idéia é que a mão de obra seja local. Para capacitar os profissionais, os empreendedores já firmaram parceria com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e assinaram convênios com universidades e escolas técnicas. O diretor destaca ainda que alguns trabalhadores serão enviados para Alemanha para estender as instruções das atividades.

 

A empresa aguarda apenas a aprovação do pedido de incentivos fiscais que devem ser concedidos pelo Estado por meio do Prodepe. Mas com a crise financeira devido a herança maldita recebida pelo governador atual, numa gestão que Paulo Câmara participava do alto escalão, fica a dúvida quanto a viabilidade desta obra tão importante para a Capital do Xaxado.