“A corrupção política está aí porque o eleitor também é corrupto”, desabafa ex candidato a vereador em Serra Talhada

O ex candidato a vereador em Serra Talhada nas últimas eleições, Ari Amorim, presidente do diretório local PSOL, fez uma reflexão quando a baixa votação que obteve, 109 votos, e do candidato majoritário da coligação, Otoni Cantarelli.

 

“Mais uma vez Serra Talhada passa por um processo negativo, desonroso, que é a compra de votos. Essa falta de compreensão do eleitor em buscar o voto consciente em eleger pessoas comprometidas, por isso que nós nos decepcionamos, porque estamos na luta, acreditando neste projeto socialista que é transformador”, disse.

 

Na avaliação de Amorim, o número de votos foi pequeno, mas foram de eleitores conscientes que sinalizaram para a proposta da coligação, o ruim é de não houvesse resultado. Assista ao vídeo produzido pelo parceiro Francisco Carlos do Jornal A Jornada On-line:

 

 

“Existe em cada um de nós a militância permanente, o que levou muitos a serem eleitos é o toma lá dá cá, da quantidade de consultas, exames, cirurgias, a compra de votos que a gente sabe que teve, principalmente nos últimos dias de campanha, então por isso sofremos mais um golpe fatal, pela falta de honradez do homem público, que deveria lutar pela causa social, do povo. Esperamos que esse povo desperte porque a corrupção política está aí porque o povo também está sendo corrupto” disparou.

 

 

Ary atribuiu o insucesso também ao período mais curto de campanha. Antes eram três meses e agora foram vinte e poucos dias, além da “falsa” polarização durante a campanha entre o azul e o vermelho. “É tudo uma coisa só mas se dividiram para lucrar mais o eleitorado. Eles tinham uma super estrutura, cada candidato a vereador teve direito a vários cabos eleitorais, militantes, enquanto nós se tivesses duas pessoas, inclusive só tivemos um carro de som no último dia”, revela.