90% dos matadouros públicos de PE não têm condição de funcionamento. Dois já foram interditados no Sertão

O matadouro público de São José do Egito foi um dos interditados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). De acordo com o auditor fiscal Francisco Reginaldo, “o equipamento apresentava um quadro de grave e iminente risco, condição que pode causar acidente de trabalho, com lesão à integridade física dos trabalhadores”  .

 

A grande dificuldade é a de atingir todos a tempo, mas o auditor, garante visitar um matadouro por semana, pois 90% dos matadouros públicos de Pernambuco não têm condição de funcionamento  e o número insuficiente para a atual realidade. Enquanto isso, corre-se risco de acidentes de trabalho e morte, a exemplo da explosão de caldeiras, como já ocorreu em outras épocas.

 

Ainda segundo o representante do MTE, entre as principais irregularidades encontradas no matadouro público de São José do Egito estão a falta de proteção nas plataformas de abate, instalações elétricas em condições precárias e sem o aterramento necessário, além de caldeira em operação sem a documentação legal necessária. Também não foi comprovado que o operador da caldeira estava legalmente habilitado, capacitado.

 

O matadouro poderá voltar a funcionar após a prefeitura realizar as adequações necessárias, mas a liberação está “condicionada a uma nova vistoria do MTE, que será solicitada pela prefeitura por meio de ofício específico.

 

Outro Matadouro Público interditado pelo pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de Caruaru foi o de Tuparetama. A interdição ocorreu após uma vistoria realizada na terça-feira (21), na qual foram identificadas situações irregulares quanto à segurança dos trabalhadores.

O prefeito de Tuparetama, Dêva Pessoa, disse que está ciente da situação, mas ainda não recebeu a notificação. “Eu soube informalmente que foram problemas na segurança dos trabalhadores. O próximo passo será contratar uma empresa especializada em consultoria de segurança do trabalho para ver como iremos corrigir os pontos que estavam errados”, ressaltou.

De acordo com o auditor regional do MTE, Francisco Reginaldo, o local estava em uma “situação grave de iminente risco” para os trabalhadores. Ele informou que as instalações elétricas do matadouro estavam danificadas e não havia equipamentos de segurança adequados para os marchantes que faziam uso da plataforma de abate dos bovinos. A caldeira do local estava irregular. Também foi identificado que o operador do equipamento não estava apto para realizar o serviço.

Conforme o MTE, o matadouro só poderá voltar a funcionar quando o gestor público do município corrigir as irregularidades do local. Quando esta medida for tomada, deverá ser solicitada – por meio de ofício – uma nova vistoria ao Ministério do Trabalho e Emprego, segundo informou Francisco Reginaldo.

images

Embora ainda não tenha sido interditado, o Matadouro Público de Serra Talhada é exemplo de falta de higiene. As carnes dos animais abatidos ficam bem próximas da bacia sanitária imunda, telhas de aranhas, paredes ensanguentadas e materiais plásticos desprovidos de qualquer limpeza.

Uma senhora responsável pela limpeza do aparelho público, disse faltar material de limpeza e condições adequadas de trabalho, tais como: proteção, jatos de água e materiais de limpeza adequados para o manuseio de carne. A repórter fotográfica do Jornal Âncora do Sertão registrou a falta de higienização e erxistência de baratas, moscas, ratos, cachorros e até porcos que podem transmitir várias doenças.

A falta de EPI’s e as condições precárias de abatimento e transporte da carne até o açougue são primárias, a velha F-4000 estilo baú, sem câmera fria e outros apetrechos essenciais para se entregar um produto de qualidade aos consumidores continua há anos sendo usado. Segundo o  abatedouro tem um faturamento de aproximadamente mais de R$ 20 mil reais segundo algumas informações do vereador Leirson Magalhães (PSB), que em outra oportunidade expôs o assunto na imprensa.

Os moradores reclamam do mau cheiro e da sujeira acumulada. Infelizmente o Matadouro se encontra em uma área escondida da população onde poucos tem acesso.