1.200 trabalhadores da construtora Mendes Junior são demitidos das obras da transposição do Rio São Francisco

Um dia após o presidente Michel Temer (PMDB), assumir definitivamente a presidência da república, trabalhadores das obras da transposição do Rio São Francisco, trecho de Terra Nova em Pernambuco a Pena Forte no Ceará vão ficar desempregados. A obra foi iniciada pelo governo do estão presidente Lula (PT).
São 1.200 pais de famílias que a partir de hoje vão reforçar o time dos mais de 12 milhões de brasileiros. Envolvida nas investigações da Operação Lava Jato, a construtora mineira Mendes Júnior vai sair da obra da Transposição do Rio São Francisco. A empreiteira apresentou o pedido ao Ministério da Integração Nacional em junho.

Segundo informações do blog Jailton Ramos, no momento a construtora Mendes Junior vai ficar com apenas 250 funcionários, esse pessoal vai dar o suporte na área da administração até que outra empresa assuma definitivamente a obra. Não se sabe ainda qual o nome da empresa que vai substituir a Mendes Junior, nem tão pouco, se o pessoal que está sendo demitido será aproveitado por essa nova empresa.

O ministério tem dois contratos com a Mendes Júnior para construção das estruturas de engenharia da primeira etapa do eixo norte da transposição, um trecho de 140 km de extensão entre Cabrobó, no Sertão de Pernambuco e o início do reservatório de Jati, no Ceará. São três estações de bombeamento, canais, reservatórios e túnel. Essa etapa está com 87,7% de avanço.